sábado, 3 de novembro de 2018

OCA realiza feira de produtos orgânicos na cidade de Itabuna, Bahia

A feira de produtos orgânicos é uma iniciativa da Rede de Agroecologia e Certificação Participativa Povos da Mata, organizada e gerida pela OCA – Centro de Agroecologia e Educação da Mata Atlântica através da Estação Orgânica Grapiúna com o apoio do Centro Público de Economia Solidária Litoral Sul (CESOL). A feira acontece uma vez por semana na cidade de Itabuna – Ba. Participam agricultores e agricultoras assentados e agricultores familiares que fazem parte da Rede Povos da Mata a partir dos núcleos de produção Serra Grande, Pratigí e Raízes do Sertão.

 Na feira são oferecidos frutas, hortaliças, verduras, raízes, plantas medicinais, plantas não convencionais conhecidas como Panc’s, polpas de frutas e produtos processados. Também contamos com a participação da Rede de Certificação Participativa Ecovida oferecendo aos consumidores diversas opções de produtos entre grãos e processados como vinhos, doces, geleias, café, óleo de soja, molho de tomate, sucos, erva mate e chás, mel, temperos e vinagres farináceos, molhos e antepastos entre outros.

 Mais que “compradores” que só se sentem satisfeitos quando encontram tudo o que querem (desejo imediato), na hora que querem e do jeito que querem (padrões estabelecidos), os consumidores co-produtores da Rede são co-realizadores, no sentido *empreendedor de uma nova prática de comércio solidário entre produtores e consumidores que atuam para abrir uma nova frente em nossa região. São empreendedores de um novo modelo que leva em conta toda a história que acontece por detrás dos produtos que chegam às suas mãos, história na qual eles também estão inseridos: quem os produz, onde são produzidos (natureza / meio ambiente onde eu + produtor moramos e vivemos), como são produzidos (cuidados necessários /dispensados, e dificuldades locais), para quem trazem benefícios (ganha/ganha).

A Rede só acontece e se estabelece se existem consumidores co-produtores dispostos a compartilharem o bônus e o ônus de uma rede produtiva que só aprende “fazendo” o que “não existia antes”. Co-produtor é co-proprietário de um processo. Não se pode ser dono, apenas, dos acertos… Mas o bom é que se pode compartilhar as soluções dos desafios! As Estações Orgânicas não são “feiras”, elas são unidades de produção solidária, movidas a gente, inspiradas pela natureza, e abastecidas por responsabilidades compartilhadas e resultados obtidos conjuntamente.

A Rede de Agroecologia Povos da Mata é o primeiro Organismo Participativo de Avaliação da Conformidade (OPAC) da Bahia. Todos tomam conta de todos e se visitam, para garantir a qualidade orgânica. Somos autorizados pelo Ministério da Agricultura (MAPA) a emitir certificação orgânica de forma participativa.

Maiores informações:

Contatos:
(73) 98832 2215 / 98821 2079

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Já começou a maratona de sessões da Mostra do Filme Livre em Cineclubes de todo o país


Foram abertas de 09 A 30 DE MAIO INSCRIÇÕES para participar da ação Cineclubes Livres 2016 da 15ª edição da Mostra do Filme Livre.

A inscrição foi gratuita e todos os inscritos receberão sessões com filmes participantes da MFL. NÃO HAVERÁ LIMITE DE INSCRIÇÕES, nem competição, mas comprometimento entre Filmes, Cineclubes e Mostra para fazer essa ação acontecer.

PUDERAM PARTICIPAR CINECLUBES realizados por Cinemas, Coletivos, Pontos de Cultura, Institutos Federais, Universidade, Faculdades, Escolas, Teatros, Museus, Bibliotecas, Sindicatos, unidades do Sistema S, Associações, Cooperativas, OSCIPs, espaços culturais, outras instituições quaisquer e indivíduos que realizam atividades ligadas ao cinema.

Os cineclubes inscritos escolheram até duas sessões e receberão os filmes e a arte gráfica da 15ª MFL EXCLUSIVAMENTE PELA INTERNET. Não será enviado nenhum material pelos Correios aos participantes.

Os participantes que se inscreverem deverão EXIBIR OS FILMES ENTRE OS MESES DE JULHO E AGOSTO DE 2016.
Em Itabuna também estará acontecendo exibições no dia 27 de julho na sede do Conselho Municipal de Cultura, Espaço Mario Gusmão às 19h.
Os filmes exibidos serão:
Monstro (Breno Baptista, 20 minutos, 2015, CE)

O rosto da mulher endividada (Renato Sircilli, Rodrigo Batista, 30 minutos, 2015, SP)

Outubro acabou (Karen Akerman, Miguel Seabra Lopes, 24 minutos, 2015, RJ)
 

Duração da sessão: 74 minutos
Classificação indicativa da sessão: 16 anos
Segunda parte da seleção de filmes premiados pela curadoria da 15ª edição da Mostra do Filme Livre 2016.

 

Confira a lista dos cineclubes participantes aqui: 

OCA, através do Cineclube Mocamba, realiza atividades para produção de documentários com alunos de escolas públicas


A OCA, através do Cineclube Mocamba, vem realizando atividades de produção de documentários com alunos de escolas públicas em Itabuna, no Colégio Estadual Modelo Luiz Eduardo Magalhães e em Uruçuca, no distrito de Serra Grande, na Escola Estadual Antônio Cruz como parte do Projeto Rede Cineclubista nas Escolas.
Toda a produção bem como a escolha dos temas dos documentários está sendo realizada pelos próprios alunos que fazem parte do projeto, que anteriormente participaram de diversas capacitações e agora vão a campo exercitar na prática a produção de um documentário. O Projeto tem como objetivo principal criar a Rede Cineclubista nas escolas públicas da Bahia, através da implantação de 54 novos cineclubes e da realização de mostra audiovisual nos Territórios de Identidade do Estado.
  As gravações foram realizadas no período de maio e junho e a finalização está prevista para final de julho. O produto final estará fazendo parte do Box com filmes realizados pelos alunos das escolas atendidas pelo projeto e comporá uma grande mostra coletiva dos filmes produzidos pelos alunos nas escolas.

O Projeto Rede Cineclubista nas Escolas é uma realização da OCA – Centro de Agroecologia e Educação da Mata Atlântica, em parceria com a União de Cineclubes da Bahia, Conselho Nacional de Cineclubes. O projeto tem financiamento da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SECULT), através do Fundo de Cultura.


Confira as imagens: 

quarta-feira, 1 de junho de 2016

ESPETÁCULO EM HOMENAGEM A MÁRIO GUSMÃO SERÁ APRESENTADO NA ABERTURA DO FESTIVAL DE CINEMA BAIANO EM ITABUNA


A homenagem contará ainda com a exibição do filme “Anjo negro”, de José Humberto, dentro da Mostra Retrospectiva

O espetáculo “Anjo Negro – a memória de Mário Gusmão” será apresentado na noite de abertura do FECIBA – Festival de Cinema Baiano, que será realizado em Itabuna, de 09 a 11 de junho, no Centro de Cultura Adonias Filho. O ator é o grande homenageado desta sexta edição, que já passou pelas cidades de Juazeiro, em abril e Feira de Santana, em maio.

“Anjo Negro” traz a memória de Mário Gusmão, importante ator e diretor teatral que influenciou a trajetória de muitos artistas na década de 1980 em Itabuna e toda a região Sul da Bahia, principalmente trazendo as questões da valorização do ser negro. É um espetáculo que desenvolve uma linguagem poética e dramática, trazendo na dança afro contemporânea, uma forte inspiração nos elementos da dança primitiva. O espetáculo é uma produção do Grupo de Afro do Encantarte através do Projeto “Cultura em Ação” do Ponto de Cultura Associação do Culto Afro Itabunense – ACAI, sob a direção teatral, coreográfica e textos de Egnaldo França.
Nascido em 1920 na cidade de Cachoeira (BA), Mário Gusmão foi o primeiro ator negro a se formar pela Faculdade de Teatro da Universidade Federal da Bahia – UFBA, onde ingressou na segunda turma em 1950. Mas foram nas décadas de 1960 e 1970 que ele viveu o melhor momento de sua carreira. Durante sua passagem por Itabuna e Ilhéus, na década de 1980, Gusmão tornou-se referência para o movimento negro e artístico da região.

No cinema, participou de obras importantes para a cinematografia brasileira, como “O caipora” (1963), de Oscar Santana, “O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro” (1969), de Glauber Rocha e “Jubiabá” (1985), de Nelson Pereira dos Santos. Na televisão, integrou o elenco das novelas “Tenda dos Milagres (1985), da Rede Globo e “Dona Beija” (1985-86), da Rede Manchete.
Ainda como parte da homenagem, a Mostra Retrospectiva do VI FECIBA, que é dedicada ao ator, exibirá o longa “O anjo negro” (1972), que narra a história de um emissário místico que representa uma síntese da cultura afro baiana, que com sua força dionisíaca, barroca, carnavalesca, selvagem e profana sacudirá os alicerces de uma família tradicional que está passando por uma crise. O filme de José Humberto Dias, foi protagonizado por Mário Gusmão e seu título passou a ser utilizado como uma qualificação ao homenageado.

O VI FECIBA, festival que valoriza o cinema, o teatro e as artes baianas, foi contemplado pelo edital 02/2015 – Agitação Cultural – Dinamização de Espaços Culturais da Bahia, vinculado ao Fundo de Cultura da Bahia – FCBA, promovido pela Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia e é uma realização do NúProArt – Núcleo de Produções Artísticas e da Voo Audiovisual.
Saiba mais sobre o VI FECIBA: www.feciba.com.br
​Leonardo Bião - Assessoria de Imprensa
Telefones: (71) 9.9995-5004 / (71) 2132-9070 / (73) 3211-1215
Email: ascom@feciba.com.br / leonardobiao@gmail.com

Mostra Itinerante de Culturas Populares em Itabuna, filmagens, edição e diversas apresentações da cultura baiana


 Terminou em Itabuna a Mostra Itinerante de Culturas Populares com a finalização da oficina de audiovisual. No sábado pela manhã os participantes da oficina divididos em duas equipes tiveram a oportunidade de pôr em prática os resultados da oficina de roteiro. Todos entraram no universo da produção cinematográfica manuseando equipamentos de captação de vídeo e áudio, realizando gravações de cenas, experimentando planos e enquadramentos. Os resultados das oficinas serão disponibilizados em breve.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Já à noite do sábado foi reservada para um verdadeiro espetáculo de cultura popular. A comunidade itabunense teve a oportunidade de assistir e prestigiar representantes da cultura baiana, vindos direto do recôncavo baiano, com as apresentações dos grupos Barquinha de Bom Jesus dos Pobres (Saubara – Bahia), Samba de Roda Raízes de Acupe (Santo Amaro – Bahia) e o Rap baiano representado pelo grupo Unidos pela Periferia (Santo Amaro – Bahia).